Desembargador que suspendeu duas comissões processantes, que investigam suposta conduta criminosa do prefeito de Araioses, tem péssimo exemplo de conduta moral na família.

08:15

Publicado por Daby Santos
O desembargador Jamil de Miranda Gedeon Neto que por duas vezes já concedeu liminar suspendendo os trabalhos de duas comissões processantes que investigam suposta conduta criminosa do prefeito de Araioses, Cristino Gonçalves de Araújo tem no seu DNA conduta muito aquém do que se espera como vida de bons exemplos de um representante do Poder Judiciário Maranhense.

Em postagem do site Atual7 postada no dia 16 de setembro de 2016 a filha do desembargador, Mizzi Gomes Gedeon diz ter ela sido identificada como funcionária fantasma da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

Abaixo a reportagem completa do site Atual7:

Fantasma, filha de desembargador é promovida à subprocuradora da AL-MA

Mizzi Gedeon já embolsou quase R$ 200 mil sem precisar pisar no local de trabalho. AL-MA mantém outros filhos da toga como funcionários fantasmas

Na estranha falta de ação do Ministério Público do Estado do Maranhão e do novo chefe da Promotoria Geral de Justiça (PGJ), Luís Gonzaga Martins Coelho, para combater a imoralidade e locupletação de dinheiro público, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Maranhão promoveu a funcionária fantasma Mizzi Gomes Gedeon, pouco tempo depois de tentar barrar na Justiça a obrigação de abrir a caixa-preta de seu quadro de pessoal e de gastos diretos e indiretos.

A nomeação foi publicada nessa quarta-feira 14, no Diário Eletrônico da AL-MA, com efeito retroativo ao 1º dia de setembro.

Mizzi Gedeon, como o próprio sobrenome já revela, é filha do ex-presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador Jamil de Miranda Gedeon Neto, e já havia sido identificada como funcionária fantasma do Poder Legislativo maranhense, juntamente com outros filhos da toga, que até julho último já haviam faturado mais de R$ 1,2 milhão do erário sem precisar pisar no local de trabalho.

De acordo com o Diário da AL-MA, Mizzi pulou do cargo em Comissão, Símbolo DANS-1, de Assessor Parlamentar — onde embolsava R$ 9.707,19 (nove mil, setecentos e sete reais e dezenove centavos) e faturou quase R$ 200 mil sem precisar ir trabalhar —, para o cargo em Comissão, Símbolo Isolado-1, de Subprocurador Legislativa do Quadro de Pessoal da Casa.

O novo salário da filha do desembargador Jamil Gedeon ainda não foi revelado. Contudo, sabe-se que o novo cargo é melhor remunerado e só poderia ser ocupado por servidores efetivos, e não comissionados, e muito menos por fantasmas.

You Might Also Like

0 comentários