HIPNOSE: Saiba sobre essa terapia que está fazendo sucesso na novela da Globo

05:31


Na novela “O Outro Lado do Paraíso” (Globo), a personagem Laura (Bella Piero) tem travas que a impedem de ter uma vida sexual saudável. Para tentar compreender de onde vem esse medo, por indicação de Clara (Bianca Bin), ela procura fazer sessões de hipnose e acaba recordando dos abusos que sofreu do padrasto, na infância.

Mas a Hipnose pode mesmo ajudar em caso de esquecimento ou traumas? O método é sério e pode ser ótimo, desde que feito com profissionais capacitados.
Exemplo da seriedade desta técnica, é que o Instituto de Criminalística do Paraná, criou o primeiro Laboratório de Hipnose Forense do Brasil, em 1998, e utilizou a técnica até o final de 2008. Instituto de Criminalística do Paraná, criou o primeiro Laboratório de Hipnose Forense do Brasil, em 1998, e utilizou a técnica até o final de 2008. 
Hipnose e Hipnoterapia
Vamos falar sobre a Hipnoterapia – A hipnose como ferramenta terapêutica.
A terapia com Hipnose é um conjunto de técnicas verbais e não verbais de comunicação utilizadas para ajudar um indivíduo a entrar em um estado modificado de consciência denominado transe.
Quando em transe, a pessoa pode ser levada a acessar memórias e recursos internos que antes eram inacessíveis por estarem em sua mente subconsciente.
Acessando a mente subconsciente o terapeuta pode trabalhar onde outros tipos de terapias convencionais não conseguem atuar.
O transe é um estado agradável de profundo relaxamento e alta concentração no qual o indivíduo fica mais suscetível às sugestões do hipnólogo, que são enviadas diretamente ou por meio de metáforas à mente subconsciente. Assim é possível realizar rapidamente mudanças e transformações internas positivas sem usar medicamentos, promovendo o equilíbrio emocional e o bem estar com eficiência e segurança.
Estudos realizados pelo americano PhD em psicologia Alfred A. Barrios compararam a efetividade terapêutica de três modalidades, a saber: Psicanálise, Terapia Comportamental e Hipnoterapia. O resultado impressiona: 
  • 93% dos clientes se recuperam após 6 sessões de hipnoterapia (1 mês e meio)
  • 72% dos clientes se recuperam após 22 sessões de terapia comportamental (6 meses)
  • 38% dos clientes se recuperam após 600 sessões de psicanálise (11 anos e meio)
O que pode se tratar com Hipnose?
 Com a Hipnoterapia você pode tratar de inúmeros problemas emocionais. Os que mais aparecem em meu consultório são:
• Medos, Fobias e Traumas (altura, animais, lugares fechados, agulhas etc)
 Insegurança
• Dificuldades para falar em público
• Excesso de peso, falta de peso e distúrbios alimentares
• Cansaço e falta de energia
• Tristezas, perdas e luto
• Depressão
• Dores nas costas
• Falta de sono
• Mal estar generalizado
• Mudanças constantes de humor
Outras situações de fundo emocional
Quem pode trabalhar com a Hipnose?
A Hipnose foi regulamentada pelo decreto Nº 51.009 de 22/07/1961, assinado pelo Presidente da República Jânio Quadros. O decreto proibia o uso da hipnose em espetáculos de qualquer tipo ou forma, em clubes, auditórios, palcos, ou estúdios de rádio e televisão. O decreto foi revogado pelo ex-presidente Fernando Collor através do decreto N º 11 de 19/01/1991.
Os profissionais médicos, dentistas, fisioterapeutas e psicólogos são orientados pelos Códigos de Ética Profissionais sobre a utilização da Hipnose para fins científicos, de pesquisa, tratamento e cura.
Em 20 de dezembro de 2000, o Conselho Federal de Psicologia aprovou e regulamentou o uso da Hipnose como recurso auxiliar no trabalho do Psicólogo através da Resolução CFP nº 013/00.
Em 1999, o Conselho Federal de Medicina emitiu um parecer sobre a Hipnose Médica (Parecer CFM nº 42/1999), recomendando que os profissionais de saúde utilizassem o termo Hipniatria, para diferenciar a Hipnose Médica, com fins terapêuticos.
 O COFFITO regulamentou a prática da Hipnose como um recurso adicional no ambiente fisioterápico (Resolução COFFITO N.380, 2010).
A Hipnose para os Odontólogos está regulamentada pela Lei N º 5.081 de 24/08/66, no art. 6º, par. I-VI.

Dr. David Rabêlo
Crefito16: 233789-F

You Might Also Like

0 comentários