Cadê os 9 milhões descontados dos servidores públicos e não repassados ao INSS?

14:12

Se isto não é suficiente para a Câmara de Vereadores de Araioses afastar imediatamente o senhor prefeito até que as investigações sejam concluídas, não há mais nada que justifique tal medida. 


O sumiço criminoso apontado por órgão superior à câmara de 9 milhões dos servidores públicos municipais, que deviam ter sido repassados à previdência é apenas a ponta do iceberg, pois prejudica não somente os araiosenses agora, como no futuro quando esses beneficiários quiserem se aposentar e não puderem por falta de contribuição proporcional aos seus salários. Sem falar que próximas gestões poderão ser obrigadas judicialmente a repor os valores agora desaparecidos, onerando duplamente o contribuinte, que pagou agora e pagará novamente no futuro. 

Ainda que milagrosamente os 9 milhões apareçam de uma hora para outra, o desvio já está caracterizado, pois a auditoria do TCE (Tribunal de Contas do Estado) se refere aos meses de janeiro a setembro de 2017, quando a prefeitura recolheu de contribuição ao INSS 11 milhões, mas repassou somente 2 milhões. 

Para onde foi os 9 milhões que deveriam ter sido repassados no mesmo período? Estará mofando no colchão de alguém, correndo jurus em alguma conta ou já descansa em paz em alguma cidade do Goiás? 

Sónia e Cristino

O relatório do Tribunal de Contas do Estado concluiu pela responsabilização do prefeito Cristino, sua esposa Sónia (de janeiro ao começo de maio) e seu irmão Antônio Ferri (10 de maio aos dias atuais, período da auditoria), ambos tesoureiros do município. E gerou o processo 9388/2017-TCE-MA, disponível a qualquer cidadão. 

Diante do feito, o que fará a Câmara de Vereadores de Araioses? Qual resposta o Ministério Público dará ao avacalhamento das leis e probidade administrativo? 

É livre a indignação e perguntar não é crime!

Por Marcio Maranhão 

You Might Also Like

0 comentários